Papa Francisco assina decreto que reconhece as virtudes heroicas do Redentorista, padre Bernardo Lubienski


Você está em - Home - Notícias - Papa Francisco assina decreto que reconhece as virtudes heroicas do Redentorista, padre Bernardo Lubienski

Padre Bernardo Lubienski nasceu em Guzów, perto de Varsóvia no dia 9 de dezembro de 1846, sendo o segundo de doze filhos de uma família nobre e muito religiosa. Seus pais eram Tomás e Adelaide Wentworth Lubienski. O seu avô, ministro da justiça e culto foi quem assinou o decreto de expulsão de São Clemente, de Varsóvia.

Bernardo, em 1856, manifestou o desejo de ser padre. Com a idade de 12 anos, em 1858, foi enviado por seus pais a S. Cuthbert’ College em Ushaw, na Inglaterra, onde seu irmão Henrique já estudava. Foram mandados para fora do país para não sofrerem a influência russa. Durante os estudos Bernardo foi ajudado e protegido por seus parentes Irene e Carlos Bodenham, que viviam em Rotherwas, em Herefordshire.

Em 1862, Bernardo decide ser padre. Um retiro o anima à vida religiosa. Entrou na Congregação Redentorista em 1864, em Bishop Eton, perto de Liverpool onde aos 6 de setembro de 1864 começou o noviciado e em 7 de maio de 1866 fez seus votos religiosos. O pai não queria sua vocação, mas Bernardo fez os estudos de filosofia na Inglaterra, que neste período pertencia à província Holandesa. Fez seus estudos teológicos em Wittem, na Holanda e foi ordenado sacerdote em Aachen (Alemanha) a 29 de dezembro de 1870. Completou seus estudos e teve seis meses de campanha missionária em Perth na Escócia.

Em 1873 Padre Bernardo se tornou secretário do Padre Roberto Coiffin, Superior Provincial da Inglaterra, neste tempo já transformada em província, mais tarde bispo de Soutwark. Dedicou-se também ao trabalho pastoral na paróquia de Clapham, em Londres.

De 1875 a 1882 participou juntamente com outros missionários em cerca de 20 missões, a maior parte em grandes cidades como Birmingham, Londres, Manchester. Ele trabalhou também no apostolado entre os emigrantes poloneses na capital inglesa.

Depois de receber uma especial bênção do Papa Leão XIII, em 22 de junho de 1883, Bernardo voltou à Polônia, estabelecendo-se em Mosciska para reimplantar a Congregação Redentorista onde atualmente está a Ucrânia. Ele dizia, que queria reparar o mal que seu avô fizera ao assinar o decreto expulsando São Clemente de Varsóvia.

Durante esta estadia, primeiro na casa redentorista de Mosciska, perto de Przemysl e depois em Cracóvia e em Varsóvia, se dedicou a um intensivo trabalho missionário, apesar de uma parcial paralisia com a qual ele sofria desde a idade de 39 anos. Influenciou todas as classes sociais da Polônia pregando, escrevendo livros religiosos e propagando o culto à Virgem Maria, em especial sob a invocação do Perpétuo Socorro. Ele tornou-se um famoso missionário, a quem o povo considerava um santo.

Em seu trabalho apostólico evangelizou também na Rússia especialmente na Siberia, pregando missões até Wladivostok, no mar do Japão. Ele era chamado de o missionário aleijado pois, por causa de um problema físico ele mancou pelo resto da vida.

Depois de longos anos de trabalho missionário Padre Bernardo morreu em Varsóvia, no dia 10 de setembro de 1933, já com fama de santidade.

O seu processo de beatificação teve início em 17 de junho de 1982.

No dia 02 março de 2018, o Papa Francisco em reunião com o prefeito da Sagrada Congregação para as Causas dos Santos, Cardeal Angelo Amato, assinou o decreto que reconhece as virtudes heroicas do servo de Deus Pe. Bernardo Lubienski, declarando-o Venerável.

Agora com a declaração da heroicidade de suas virtudes proclamada, ficamos aguardando um milagre necessário para a sua beatificação.